Casa de Farinha da comunidade Riozinho - PR






Casas de Farinha tradicionais na comunidade

A comunidade possui diversas casas de farinha tradicional. Não foi possível estimar o número, mas notamos que quase todas as famílias possuem suas farinheiras tradicionais. Os equipamentos são os tradicionais, mas com muitas adaptações “modernas”. O ralador, por exemplo, nas duas casas que visitamos, é ligado a motor elétrico, assim como a presença das pás mecânicas (chimarrita) para mexer o forno, também ligado a motor elétrico. 

O movimento de mexer a mandioca no tacho era tradicionalmente feito com pequenas pás de madeiras, semelhantes a raquetes de tênis de mesa (ping pong), mas foram substituídas pelas chimarritas elétricas. A prensa, no entanto, ainda é a tradicional da região, feita de madeira em forma de fuso, que impressionaram pelas suas dimensões. 

Notou-se a presença de outros utensílios típicos, como os tipitis (peneiras), cestos e artefatos de purungo (cuia).

O piso dessas casas de farinha são de chão batido, as vezes com um pouco de cimento, as paredes são de tábua de madeira bruta, de bambu ou varas de madeira, com muitas frestas entre si. 

Foi identificado a presença de alguns objetos estranhos ao processo de fabricação da farinha no interior da farinheira, como latas de tinta, câmaras de pneu, bicicletas, plásticos e diversos vasilhames, além de muitos vestígios (restos) de farinha.

O preço de venda da farinha tradicional na comunidade é de R$ 3,50.

As fotos encontram-se mais abaixo, no tópico Imagens.